Buscar

Lean Six Sigma e suas aplicações na indústria

Entrevista Técnica, 09:13 de 26 de julho de 2022, para empreendedores de alimentos.


Convidamos a Thais Rosa, empresária, consultora e mentora, especializada na parte de melhoria contínua para compartilhar um pouco sobre o que é o Lean Six Sigma, metodologia cada vez mais em alta nos dias atuais, seus benefícios e aplicações na indústria.


Fale sobre você

Thais Rosa, empresária, consultora e mentora. Formação nas áreas de Química de Alimentos, Química Industrial, Administração, Neurociência e Psicologia. Há 12 anos apaixonada por melhoria contínua, Blackbelt Lean Six Sigma e Facilitadora de TPM, ambas melhorias de desenvolvimento de processo para a melhoria dos resultados através da transformação e engajamento das pessoas.


O que é a metodologia do Lean Six Sigma?

A metodologia Lean Six Sigma é uma convergência entre os conceitos de melhoria nos processos de uma empresa com o objetivo de redução da variabilidade e diminuição e eliminação de desperdícios. E é essa exata combinação que permite que essa metodologia possa auxiliar diversos modelos de negócio.

Ter um processo Lean significa que o mesmo é enxuto, ou seja, sem desperdícios, ao passo que considerá-lo six sigma, é a abrangência do mais alto nível de qualidade a nível estatístico sigma.


Onde começou a ter experiência com processos e com o Lean?

Desde 2014 atuando com Lean Six Sigma em projetos específicos, para auxiliar na obtenção de resultados de modo ágil e assertivo, com o objetivo de redução de variabilidade de defeitos, em especial, na indústria de Alimentos.


Como essa metodologia pode ser aplicada na indústria? É possível aplicá-la em empresas menores?

O Lean Six Sigma é aplicável em qualquer momento, inclusive em casa, na vida ... etc. Pode ser aplicado em qualquer ambiente, pois para que ele exista e seja implementado, o fator principal é a existência de uma oportunidade de melhoria, ou seja, uma condição que não esteja adequada às expectativas das partes interessadas, podendo estas serem internas ou externas.

O modelo é bem simples, mas muito eficaz e, dependendo do nível de comprometimento das equipes, os resultados são muito rápidos e observados em cada etapa. Também não há restrição de modelo de negócio para a aplicação da metodologia, o importante é ter claro que existe uma situação-problema. Algo que deve ser melhorado e a partir disso, avalia-se o processo e como pode ser mais enxuto e sem desperdícios e com menor variabilidade possível.


Que benefícios essa aplicação pode trazer a curto, médio e longo prazo?

Eu costumo vivenciar nas empresas que iniciam a sua implementação que já nas etapas de mapeamento e priorização de projetos, já se observam resultados, uma vez que traz clareza e solidez a uma determinada situação que poderia estar sendo um ‘ponto cego’ para o processo.

A cada etapa temos os “Gates” que chamamos de portões de validações das etapas seguintes e a partir deles podemos monitorar, validar e padronizar o que chamamos de “quick wins”, que são os ganhos rápidos obtidos a partir de iniciativas ‘ver e agir’. Observando resultados em médio prazo, é claro que quando um ciclo bem implementado e focado, consegue realizar a manutenção dos resultados, para chegar em um grau de assertividade nível sigma – que é a validação da reprodutibilidade de um determinado resultado, ou seja, aquele processo está tão validado que o produto dele será padrão e corresponderá as expectativas de todas as partes interessadas.

A longo prazo, a metodologia Lean Six Sigma sendo adotada para melhoria de processos, pode se tornar um modelo de gestão ágil de melhoria contínua focado na necessidade de partes interessadas, o que agrega valor por existir uma co-construção entre equipes e participação de todos. Podemos comparar com os famosos e atuais ‘squads’ que são equipes autogerenciáveis. Essa autonomia que as equipes possuem trazem o senso de pertencimento e empoderamento para os funcionários e a contrapartida para as empresas é uma maior competitividade por manter sempre seus processos e produtos sendo direcionados aos melhores padrões de qualidade e sem desperdícios.


Por que você acha que o Lean é uma das principais ferramentas utilizadas hoje para processos?

A metodologia Lean Six Sigma traz um formato de construção de processos muito claro e principalmente focado em observação e avaliação de desperdícios, o mundo competitivo em relação à disponibilidade cada vez menor de recursos, deseja fazer sempre mais com menos. E é uma das grandes facilidades da metodologia, a oportunidade de mapear desperdícios mantendo ou até mesmo melhorando a qualidade dos produtos e serviços.


Muitas vezes acreditam que essas metodologias são muito complexas e de difícil aplicação. O que acha sobre isso?

Sempre que começamos algo novo, temos a tendência de observar uma complexidade inicial, é importante, para que toda organização e principalmente as pessoas envolvidas diretamente sejam treinadas e capacitadas. A melhor forma de estruturar é fazendo, e por isso sempre recomendo que inicie piloto, com projetos menores e muito focados. A grande parte das empresas que tem essa sensação é porque fazem uma abrangência inicial para uma quantidade de projetos muito grande e que geram demandas excessivas, causando nas equipes uma sensação de ‘mais trabalho’.

A solução para isso, portanto, é capacitação das pessoas adequadas e aplicação em um processo piloto. A partir dos resultados positivos, analisar criticamente e fazer os ajustes necessários para posterior replicação e abrangência de novos projetos.


O que você poderia dar de dicas para quem está começando a mexer com a metodologia hoje?

Primeiramente, é importante dizer que esse é o profissional mais procurado no mercado hoje, tecnicamente de modo individual você encontra excelentes profissionais, porém um profissional habilitado a atuar de modo multidisciplinar, com solução de problemas e redução de desperdícios, garantindo ao cliente final uma satisfação. Esse é o profissional que está efetivamente ganhado espaço.

Por isso, insisto em dizer que, para que possamos sempre avaliar e validar o método, precisamos estar no campo de batalha aplicando, mesmo que em um processo pequeno, mas iniciar com um modelo de capacitação e desenvolvimento é essencial para que o envolvimento de todos possa colaborar para não só a implementação deste modelo de gestão, mas também para a manutenção dessa metodologia para consolidação dos resultados e a famosa melhoria contínua, até porque enquanto tiver oportunidade de tornar um processo melhor, haverá oportunidade de implementar a metodologia Lean Six Sigma, então é importante refletirmos: Com o mundo com mudanças cada vez mais ágeis, vão existir poucas ou muitas oportunidades de melhoria? A resposta vale o comprometimento em se jogar nessa metodologia para crescer com essa grande oportunidade que estamos vivendo e nos próximos anos ainda viveremos com mais intensidade.


Quando começamos a ter contato com essas metodologias conseguimos ir desmistificando essa área, entendendo que pode ser mais simples do que pode parecer em um primeiro momento. Além de esclarecer diversos pontos sobre o Lean Six Sigma, conhecer um pouco mais da prática nos inspira e motiva a trazer essas mudanças ao nosso dia a dia, para atingirmos a nossa melhor performance.

 

Autora: Leidjane Pereira | Estagiária em Engenharia de Alimentos

12 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo