Buscar

Os desafios da nova Rotulagem Nutricional de Alimentos

Entrevista Técnica, 09:54 09 de maio de 2022, para empreendedores de alimentos


Convidamos o Rogerio Malta para compartilhar um pouco sobre a importância e a suas percepções acerca dos desafios e impactos da nova Rotulagem Nutricional de Alimentos, que entrará em vigor em outubro deste ano.


O Rogerio é Engenheiro de Alimentos formado pela UFRRJ e mestrando em Ciência e Tecnologia de Alimentos. Atua como Supervisor nos setores de bebidas não alcoólicas e águas minerais, com foco em Garantia da Qualidade e Controle de Processos.


Por que mudar a Rotulagem Nutricional de Alimentos?

A rotulagem dos alimentos tem como principal função informar o consumidor as características do produto que está sendo adquirido. A grande e mais importante questão é que esta informação precisa ser clara e acessível.

De forma geral, a importância de alterar a rotulagem nutricional dos alimentos está exatamente neste ponto: tornar a informação mais assimilável e direta para o consumidor de forma a facilitar a compreensão de modo geral.


Quais são os pontos chaves para o melhor entendimento da nova Rotulagem Nutricional?

De maneira geral, as maiores mudanças (e, portanto, considero estes sendo pontos chaves) estão relacionadas ao conceito de porção, os limites para que um alimento receba a lupa frontal (sendo considerado alto em gorduras saturadas, sódio e/ou açúcares adicionados) e a estrutura de apresentação das informações nutricionais.


Qual impacto você acredita que será proporcionado por essas mudanças?

Em um primeiro momento, acredito que o consumidor irá analisar de forma diferente o alimento que está adquirindo, no caso dos produtos que receberão lupa frontal.

Para os fabricantes, o grande impacto será (e está sendo) a corrida para desenvolver produtos aceitáveis ao paladar do consumidor reduzindo gorduras saturadas, sódio e/ou açúcares adicionados em suas formulações de forma que seus produtos sejam isentos de lupa frontal.


Você acha que será de mais fácil leitura para os consumidores?

Em relação à informação nutricional frontal, sim!

A informação é clara e direta. “Alto em açúcares adicionados”, por exemplo. Já em relação à tabela de informação nutricional, acredito que será uma tarefa difícil para o consumidor diferenciar os termos carboidratos, açúcares totais e açúcares adicionados.


Quais os maiores desafios da nova Rotulagem Nutricional?

Sem sombra de dúvidas não é rotular!

Os desafios da nova rotulagem estão concentrados em desenvolver produtos que não necessitem receber a lupa frontal e tentar prever o comportamento do produto no mercado, caso ele possua os alertas trazidos pela lupa.


Como as empresas estão se organizando para essa mudança?

Tenho observado as empresas trabalhando em duas frentes em paralelo.

A primeira é desenvolvendo produtos análogos aos originalmente trabalhados no mercado, porém reduzindo açúcares adicionados, gorduras saturadas e/ou sódio, de forma a evitar o alerta no painel frontal.

A outra frente é mantendo seus produtos originais no mercado para verificarem como será o comportamento destes após a implementação da nova rotulagem nutricional.


As novas legislações de Rotulagem Nutricional de Alimentos têm o objetivo de tornar a mesma mais clara não só para o consumidor, mas para quem produz, padronizando mais as informações contidas nos rótulos. Além disso, essa movimentação do mercado para reduzir nutrientes, que podem prejudicar a saúde se consumidos em excesso, tende a beneficiar nossa população. Foi dado um passo, mas ainda temos muito a caminhar nesse debate da acessibilidade das informações sobre os produtos alimentícios para o consumidor final.

 

Autora: Leidjane Pereira

Estagiária de Engenharia de Alimentos | Foodtech Consultoria

34 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo